Mai 6, 2021
Par Monde Nouveau
113 visites


A palavra “anarquia”, criada um pouco como provocação por Proudhon, que havia estudado as línguas clássicas e tomado à termo no sentido etimológico, têm sido rechaçado mesmo no chamado movimento “anarquista”. Mikhail Bakunin se qualificava sobretudo de “socialista revolucionário” ou de “coletivista”, e muito raramente de “anarquista”. Em 1906, os teóricos anarquistas do movimento espanhol propõe renunciar ao vocabulário “anarquia”, que o público interpretava mal.

“Em todas as línguas, o sentido dado à palavra pelo uso é preponderante, e criar tal confusão é criar a anarquia no sentido tradicional do termo. Porque em conjunto, a opinião pública, ignorando a fantasia de Proudhon ou rechaçando submeter-se a ela, têm conservado um sentido negativo que lhe atribui a palavra anarquia, e desde 1840 os anarquistas tem-se debatido para fazer admitir o que esta não queria. E nos pomos esta situação por sabermos, empenhado em deformar o sentido de uma palavra contra a vontade geral, à margem do pensamento público”. (Gaston Leval, El Estado en la Historia (Zero-ZYX, Bilbao 1978).)




Source: Monde-nouveau.net