Janvier 3, 2021
Par Monde Nouveau
360 visites


O congresso da CGT realizado em 1906 em Amiens, no Norte de França, aprovou uma resolução que ficou então conhecida, a partir de 1910, como a “Carta de Amiens”.

Esta resolução é unanimemente considerada como a declaração de princípio do sindicalismo revolucionário. Não estou de acordo.

Uma leitura completa dos anais do congresso mostra uma realidade que está muito longe do mito que foi feito, mas ao mesmo tempo uma realidade muito mais comovente1. Vemos uma corrente sindicalista revolucionária que é certamente ainda poderosa, mas encurralada, na defensiva face aos representantes de poderosas federações reformistas, e que defende suas posições com determinação e coragem…

A realidade que percebemos não é a do mito que foi construído após o fato. Podemos ver que a oposição à política confederal (ou seja, aos sindicalistas revolucionários) é extremamente vigorosa, que os golpes às vezes são violentos.Os sindicalistas revolucionários têm que enfrentar forte oposição ; eles são seguidos de perto e perseguidos pelos delegados reformistas e socialistas, cujas forças estão longe de ser insignificantes, e eles têm que responder aos golpes recebidos.

A votação da famosa “Carta de Amiens” por uma esmagadora maioria de delegados – 834 votos a favor, 8 contra e 1 branco – revela por si só a extensão das concessões que tiveram de ser feitas aos reformistas : os anarquistas também votaram a favor. De fato, a resolução de Amiens nada diz sobre a luta contra o Estado, contra o exército, contra o parlamento. As atas do congresso mostram uma verdadeira ofensiva dos reformistas contra o alegado desrespeito da liderança confederal com a regra da “neutralidade” e contra as posições “políticas”. A propaganda anti-eleitoral é assim atacada com violência porque é vista como uma posição política que ofende as convicções dos membros que confiam nos partidos políticos. Da mesma forma, o anti-militarismo é visto como uma violação da neutralidade sindical porque ofende os nacionalistas !




Source: Monde-nouveau.net