Muitas pessoas condenaram a CNT da Espanha, culpando-a por não ter tido sucesso. Pode-se discutir infinitamente se o fracasso do anarquismo espanhol é ou não devido à natureza intrínseca do anarquismo. Um exame do contexto internacional da época parece-me inevitável se se quiser fazer uma avaliação. O ciclo revolucionário que tinha começado com o fim da Primeira Guerra Mundial e a revolução russa, que continuou com a revolução alemã, o movimento dos conselhos na Itália, terminou na véspera da Segunda Guerra Mundial. O movimento operário espanhol teve de enfrentar as consequências do fracasso destas três revoluções. Os ativistas que reivindicam o legado do bolchevismo devem começar por fazer um balanço das falhas de sua própria corrente.

Os anarco-sindicalistas espanhóis tiveram de enfrentar muitos inimigos e não tinham aliados. Franco, ativamente apoiado por Hitler e Mussolini, bateu-lhes na cara. Mas foram espancados nas costas por Stálin, que fazia tudo para impedir o sucesso de uma revolução que ele não controlava. Eles também foram atingidos por um ângulo, pode-se dizer, pelos republicanos.


Article publié le 28 Août 2020 sur Monde-nouveau.net